Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Marcos Resende Coisas

Marcos Resende Coisas

Coisas de Flaubert

Gustave Flaubert.jpg

 
Índice Coisas ◦ Índice Geral 


01.

O que o dinheiro faz por nós não compensa o que fazemos por ele.

02.
Sucesso é uma consequência e não um objetivo.

03.
Pode fazer-se tudo, salvo fazer sofrer os outros: eis a minha moral.

04.
A moral da arte reside na sua própria beleza.

05.
As recordações não povoam a nossa solidão, como se costuma dizer; antes pelo contrário, tornam-na mais profunda.

06.
Cuidado com a tristeza. Ela é um vício.

07.
Eu estou morrendo, mas aquela puta da Madame Bovary viverá para sempre.

08.
Nada é mais humilhante do que ver um tolo vencer naquilo em que fracassámos.

09.
Talento é paciência sem fim.

10.
Ser estúpido, egoísta e ter boa saúde, eis as condições ideais para se ser feliz. Mas se a primeira faltar, tudo está perdido.

11.
Considero como uma das felicidades da minha vida não escrever nos jornais; isto faz mal ao meu bolso, mas, faz bem à minha consciência.

12.
Aos incapazes de gratidão nunca faltam pretextos para não tê-la.

13.
A estupidez não está de um lado e o espírito do outro. É como o vício e a virtude; sagaz é quem os distingue.

14.
Para se ter talento é necessário estarmos convencidos de que o temos.

15.
Salvo se formos cretinos, morremos sempre na incerteza do nosso próprio valor e do da nossa obra.

16.
Eu não tenho nenhuma coragem, mas procedo como se a tivesse, o que talvez venha dar ao mesmo.

17.
O autor na sua obra, deve ser como Deus no universo, presente em toda a parte, mas, não visível em nenhuma.

18.
A arte é, de todas as mentiras, a que engana menos.

19.
Tudo acaba por ser interessante se o contemplarmos durante tempo suficiente.

20.
Nunca existiram grande homens enquanto vivos. É a posteridade que os cria.

21.
Não se faz nada de grande sem fanatismo.

22.
Há no mundo uma conspiração geral e permanente contra duas coisas, a poesia e a liberdade; alguns poetas se encarregam de exterminar uma, assim como os agentes da ordem de perseguir a outra.

23.
Todas as bandeiras se encheram tanto de sangue que é tempo de as banirmos por completo.

24.
Ele andava à roda no seu desejo como o preso no cárcere.

25.
Não desculpo de modo algum aos homens de ação que não vençam, uma vez que o êxito é a única medida do seu mérito.

26.
A estupidez consiste em querer concluir.

26.
A igualdade é a escravatura. É por isso que amo a arte. Aí, pelo menos, tudo é liberdade neste mundo de ficções.

27.
A recordação é a esperança do avesso. Olha-se para o fundo do poço como se olhou para o alto da torre.

28.
Uma pessoa tem de ser muito ordenada e burguesa na vida privada para poder ser louca e inventiva na vida criativa.

29.
Aturdir-se na literatura como numa orgia perpétua é o único sistema para suportar a vida.

30.
Faz-se crítica quando não se pode fazer arte, como quem se torna delator quando não pode ser soldado.

31.
O artista deve fazer com que a posteridade pense que ele não existiu.

32.
A mulher é uma criatura normal sobre a qual fizeste uma bonita imaginação.


33.
O estilo está sob as palavras como dentro delas. É igualmente a alma e a carne de uma obra.

 

Índice Coisas ◦ Índice Geral